Variáveis

A declaração de variáveis no C++, informa o tipo de dados a ser utilizado no armazenamento em memória, esta declaração pode instruir o compilador a alocar memória para a aplicação de forma dinâmica, assim é a criação de uma variável. Esta criação deve respeitar uma prototipagem da linguagem, para declarar o tipo, o nome da variável e o valor de atribuição.

Uma “variável”, como a próprio palavra diz, pode variar seu conteúdo de acordo com as necessidades de uma aplicação, ou seja, os dados pertinentes a variável são mutáveis.

A declaração de uma variável se dá pelo tipo do dado, seguido do nome da variável, podendo ou não efetuar uma atribuição inicial de um valor. vejamos sinopse abaixo:


[tipo] [nome] = [valor];

Abaixo a declaração de uma variável do tipo inteiro, vejamos:


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
int valor;

valor = ( 100 / 2 );

cout << valor << endl; return 0; }

Reparem que acima a declaração da variável em primeira instância é feita sem a atribuição de um valor inicial, sendo esta ação feita posteriormente.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
int x = 1000;

x = 20;

cout << x << endl; return 0; }

Já neste segundo exemplo de código, um valor é inicialmente atribuído a declaração da variável com o nome "x", tendo como ação posterior a atribuição de um novo valor( "x = 20" ), em seguida o valor é apresentado em tela com "cout".

Devo lembrar que em C++, como medida preventiva para evitar possíveis deslizes durante a programação é atribuir sempre um valor inicial as suas variáveis.

Abaixo alguns exemplos de tipos de dados declarados em variáveis no código fonte.

Usando Tipo de dados Booleano.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
bool b = false;
b = 10;

if(b == true){
cout << "Variavel do tipo bool" << endl; } return 0; }

Uma observação a ser feita sobre o tipo de dados "bool" é que qualquer valor maior que zero atribuído a uma variável deste tipo, será considerado um valor verdadeiro, ou seja, valor true.

Usando Tipo de dados float.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
float fx = 1.567;

fx = fx + 0.45;
cout << fx << endl; return 0; }

Usando Tipo de dados double.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
double dx = 4.563789935;

cout << dx << endl; return 0; }

Usando Tipo de dados Booleano.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
char c = 'a';

cout << c << endl; return 0; }

Para manipular um conjunto de caracteres "char", C++ fornece um tipo de dados (Objeto) std::string, que efetua a manipulação deste tipo de dados, vejamos:


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
string s;

s = "Eu sou um conjunto de caracteres";

s.append(" !!!");

cout << s.c_str() << endl; return 0; }

Constantes

A linguagem C++ também fornece constantes para manipulação de dados imutáveis no sistema, ou seja, dados que não podem ser alterados durante sua execução.

As constantes definem valores ou palavras que podem ser utilizados como referência pela aplicação, como comparativo referencial ou até mesmo atribuição de valores a variáveis do sistema. Assim como o valor da constante Pi, cujo seu valor flutuante é 3.14159, ou até mesmo a constante de Euler e=2,718281828459045235360287471352662497757, estes valores são imutáveis.

Podemos utilizar duas formas de declaração de uma constante na linguagem C++, uma delas é utilizar o operador "const" e a outra forma é utilizar o pré-processador #define. Vamos aos exemplos práticos.

Declaração utilizando pré processador de C/C++ #define.

#include
#include

#ifndef PI
#define PI 3.14159
#endif

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
cout << "O valor Pi = " << PI << endl; return 0; }

Utilizando o operador const para definir uma constante.


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){

const std::string s = "Sou uma constante !";

cout << s.c_str() << endl; return 0; }

Conversão de Tipos de Dados

A conversão de tipos de daos na linguagem C++ pode ser efetuada de duas formas, vejamos na prática:


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
float f = 3.14;
int x = (int) f;

cout << x << endl; return 0; }

Reparem que no exemplo acima, ao atrivuir o valor da variavel flutuante "f" para a variavel inteira "x" foi utilizado o operador "(int)" para efetuar a conversão, resultando no valor impresso em tela correspondente a "3".


#include
#include

using namespace std;

int main(int argc, char *argv[]){
float f = 3.14;
int x = int(f);

cout << x << endl; return 0; }

A segunda forma de conversão, possui um declaração parecida como um função, assunto no qual iremos ver futuramente. Reparem que inserimos a variavel "f" como atributo para ser convertido pelo operador int , resultando também na saída em tela, um valor inteiro "3".

Introdutório sequencial:

  1. Introdução.
  2. Tipos de Dados em C++.
  3. Variáveis e Constantes em C++
  4. Matriz, Array e Vetor em C++
  5. Ponteiro e Referência em C++
  6. Operadores(Lógicos e Matemáticos)
  7. Estrutura de Controle de Fluxo
  8. Funções
  9. Classes
  10. Herança
  11. Poliformismo
  12. Abstração (virtual)
  13. Tipos Genéricos (templates)
  14. Namespaces
  15. Exceções (try, catch, throw)
  16. Standard Template Library (STL)
  17. Entrada e Saida Padrão (cin, cout, cerr)
  18. Manipulando Arquivos (IO)
  19. Sockets
  20. Bibliotecas padrão C++
  21. Compiladores C++.